Supremo israelense libera destruição de casa de palestino

JB Online

JERUSALÉM - De acordo com informações da agência EFE, a Corte Suprema israelense deu sinal verde, nesta quarta-feira, para o governo do país destruir a casa de um palestino residente em Jerusalém Oriental que matou três israelenses em um ataque com uma escavadeira antes de ser morto a tiros, em julho de 2008.

A destruição de casas de familiares de autores de atentados suicidas e outro tipo de ataques foi uma prática comumente utilizada por Israel, especialmente durante a Segunda Intifada. Em 2005, uma comissão militar israelense opinou que essa tática não servia como elemento dissuasório de eventuais ataques terroristas.

A Corte Suprema chegou a rejeitar um recurso contra esta decisão, feito por Taiser Duwiyat, pai de Hussam Duwiyat, o autor do ataque.

Taiser apelou à instância suprema da Justiça israelense no início deste ano, alegando que o filho não morava legalmente no imóvel. O pai também argumentou que não era responsável pelos atos do filho e que a destruição da casa seria um castigo desproporcional contra sua família.