Netanyahu segue en contacto com Kadima e trabalhistas

Agência AFP

JERUSALÉM - O primeiro-ministro israelense designado, Benjamin Netanyahu, prossegue com as tentativas de unir o partido de centro Kadima e os trabalhistas a sua coalizão, ao mesmo tempo que se esforça para formar rapidamente um gabinete com os partidos de direita. - Existem divergências entre o Kadima e o Likud, mas queremos formar uma coalizão governamental o mais ampla possível e os contatos neste sentido continuam - declarou à rádio pública Gilad Erdan, responsável pelas negociações.

- Netanyhau já se encontrou três vezes com Tzipi Livni. Também tenta somar o Partido Trabalhista, mas isto não o impede de querer formar o mais rápido possível um gabinete, mesmo que depois tenha que revisar os acordos de coalizão fechados com os partidos religiosos e de ultradireita - acrescentou.

Até o momento, o Likud só alcançou um acordo de coalizão governamental com o partido de extrema direita nacionalista Israel Beiteinu, de Avigdor Lieberman.

Segundo a rádio pública israelense, o Likud encontra dificuldades para fechar acordos similares com o Shass (ortodoxo sefardita), o Judaísmo Unificado da Torá (ortodoxo asquenaze) e dois partidos de ultradireita, a União Nacional e o Lar Judeu.

Netanyahu tem que formar o governo e apresentá-lo até quinta-feira. Caso contrário, terá que pedir ao presidente Shimon Peres um prazo adicional de duas semanas.