Cardeal italiano defende posição do Papa sobre uso de preservativos

Agência ANSA

GÊNOVA - O presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), cardeal Angelo Bagnasco, defendeu nesta quarta-feira a posição do papa Bento XVI sobre o uso de preservativos como método de combate à epidemia de Aids.

- O Papa nos remete à essência do amor, e o amor não se esgota em nenhuma de suas expressões, é algo que vai sempre além - sustentou Bagnasco, que também é arcebispo de Gênova.

Nesta terça-feira, durante a viagem a Camarões, primeira etapa de sua visita ao continente africano, o Papa disse que a Aids "é uma tragédia que não pode ser superada com o dinheiro nem com a distribuição de preservativos, que desse modo aumenta os problemas".

Em seguida, defendeu uma renovação moral no comportamento humano para evitar a transmissão do vírus HIV.

Para Bagnasco, ao fazer estas afirmações, o Pontífice se referiu ao "fundamento do amor nas relações humanas".

Bento XVI realiza seu primeiro giro pela África, que além de Camarões inclui também uma passagem por Angola.

O continente concentra o maior número de portadores de HIV no mundo. Segundo o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, existem hoje no planeta cerca de 33 milhões de pessoas infectadas, das quais dois terços (22,5 milhões) estão na África Subsaariana.