ONU apresenta novo texto para conferência sobre racismo

Agência ANSA

GENEBRA - Um novo projeto de texto para a Conferência das Nações Unidas sobre Racismo, conhecida como Durban II, foi apresentado nesta terça-feira em Genebra pelo embaixador russo Yuru Boychenko, presidente do comitê de redação da Conferência.

O novo texto, de 17 páginas, é mais curto que o anterior e não contém os pontos polêmicos que haviam levado EUA, Israel, Canadá e Itália a anunciar que não participariam do encontro.

O texto original da Conferência, que fazia críticas a Israel, foi acusado pelo chanceler da Itália, Franco Frattini, de conter "frases agressivas do tipo antissemita".

Mais cedo, o chanceler havia advertido que os países da União Europeia (UE) ainda poderiam abandonar unilateralmente a Conferência das Nações Unidas sobre Racismo caso não fosse aprovado um novo texto para substituir o original.

Em entrevista para o jornal La Repubblica, o chanceler chegou a confirmou "o risco" de que a UE se dividisse sobre a participação na Conferência, que será realizada de 20 a 24 de abril, em Genebra.

O objetivo da conferência Durban II é rever a Declaração Mundial Contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância, criada durante a primeira conferência, realizada em 2001 na cidade de Durban, na África do Sul.