Ministro venezuelano desconsidera conclusões da SIP

JB Online

CARACAS - A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), estaria sob controle de proprietários de meios de comunicação "de ultradireita", segundo o ministro das Comunicações da Venezuela, Jesse Chacón.

Ele afirmou nesta terça-feira que, por esse motivo, as informações apresentadas pela SIP "não devem causar estranhamento a nenhum governo progressista que surge na América Latina".

- Existem muitos (proprietários da mídia) que mantiveram estreitas relações com governos como a ditadura do Chile - acrescentou.

Em sua reunião semestral, encerrada na segunda-feira no Paraguai, a SIP concluiu que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, "seguiu com sua incansável tarefa de humilhar a imprensa", com sua "retórica incendiária", e condenou "os crimes, hostilidade e violência contra jornalistas, meios de comunicação e seus dirigentes".

Por último, o organismo denunciou "a continua prática de utilização das pautas publicitárias do Estado como elemento de pressão contra os meios independentes".

O encontro de três dias da SIP reuniu 300 delegados, teve como objetivo avaliar a situação da liberdade de imprensa no hemisfério ocidental.

A SIP concluiu que a liberdade de imprensa nas Américas se agravou no último semestre devido a assassinatos e violência contra jornalistas, a campanhas de desprestígio e ao clima de hostilidade de alguns governos contra meios de comunicação e repórteres, e também como consequência da crise da indústria dos jornais nos Estados Unidos, entre outros fatores.