Chávez diz que eleição de ministro colombiano seria 'ameaça à paz'

Agência ANSA

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta terça-feira que uma eventual eleição do ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, para o governo de seu país representaria uma "ameaça à paz" regional.

- Imaginem a ameaça à paz do continente se um cavalheiro como esse alcança seus objetivos - disse Chávez, em declarações transmitidas pela emissora estatal de televisão.

Na Colômbia, Santos, um dos principais membros do atual governo, é um dos nomes mais cotados para tentar suceder o presidente Álvaro Uribe. As eleições ocorrem em 2010.

Chávez se referiu ao ministro do país vizinho como "um pupilo da extrema direita 'ianque'", e voltou a condenar as afirmações em que ele defendeu o bombardeio colombiano contra as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) realizado em território equatoriano, no dia 1º de março de 2008.

Em uma entrevista concedida no dia em que o ataque completou um ano, Santos definiu como um ato de "legítima defesa" atacar terroristas que estejam fora de seu país.

- O ministro [colombiano] da Defesa de vez em quando fica louco e então diz que vão buscar terroristas onde quer que eles se encontrem. Uma loucura, e quer ser presidente da Colômbia - disse Chávez.

O mandatário também se referiu à operação do Exército colombiano, que culminou na morte de 26 pessoas (entre elas Raúl Reyes, então número dois das Farc) e custou o rompimento das relações diplomáticas com o Equador, que ainda não foram retomadas.

- Nossa querida Colômbia, que amamos, deve assumir uma postura de respeito. Já vimos o que aconteceu quando desrespeitaram a soberania do Equador, a Colômbia ficou sozinha - ressaltou o presidente.

Esta não é a primeira vez que Chávez faz ataques a Santos. Antes, ele já havia definido o ministro como um "inimigo" da Venezuela e disse que mobilizaria as Forças Armadas caso a Colômbia violasse o território de seu país.