Professor acusa príncipe Charles de charlatanismo

REUTERS

LONDRES - O príncipe Charles foi acusado de charlatanismo e exploração por causa da venda por sua empresa de alimentos, a Duchy Originals, de um extrato "desintoxicante" feito de alcachofras e dente-de-leão.

Edzard Ernst, professor de medicina complementar na Escola Médica da Península, em Exeter, afirmou que Charles está explorando a ingenuidade pública em tempo de dificuldades financeiras.

Critico de longa data das medicinas alternativas, como a homeopatia, Ernst disse que não há evidências que de que tais produtos funcionem com desintoxicantes.

- O príncipe Charles contribui para a má saúde da nação ao fingir que podemos abusar, depois tomar esse extrato e estar bem novamente - afirmou o professor em comunicado.

O produto foi colocado à venda neste ano e está disponível nas lojas Boots e Waitrose, afirmou Ernst.

O príncipe, que está com 60 anos, é um antigo defensor da agricultura alternativa e sustentável e fundou a Duchy Originals em 1990 para comercializar alimentos, com os lucros sendo direcionados para a caridade.

O chefe-executivo da Duchy Originals, Andrew Baker, afirmou que o extrato foi vendido como um suplemento alimentar em concordância com as leis alimentícias do Reino Unido e da União Europeia.

- Duchy Herbals Detox Tincture é uma ajuda natural à digestão e auxilia o processo de eliminação natural do corpo - disse. - lsso não é - e nunca foi descrito como - um medicamento, remédio ou cura para alguma doença.

- Achamos que infelizmente o professor Ernst está, dessa forma, buscando manchetes sensacionalistas em vez de se concentrar na precisão e objetividade - completou.