Presos de Guantánamo admitem planejamento dos atentados de 11/9

Agência AFP

WASHINGTON - Cinco homens detidos na prisão de Guantánamo, acusados de terem planejado os atentados de 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos, apresentaram um documento no qual reconhecem a responsabilidade e manifestam orgulho por suas ações, informa o jornal New York Times.

O documento, apresentado à comissão militar da base naval americana de Guantánamo, Cuba, afirma que os homens pertenciam a uma assembleia consultiva que planejou os atentados contra Nova York e Washington.

O documento pode ser divulgado nesta terça-feira, afirma o New York Times.

Os homens descreveram o planejamento dos atentados e a matança de americanos como um modelo de ação islâmica, segundo trechos do documento lidos por uma fonte do governo ao jornal.

- Para nós, não são acusações. Para nós são uma medalha de honra, que usamos com orgulho - afirmam.

Os juízes militares americanos suspenderam em 21 de janeiro os processos dos cinco supostos conspiradores, incluindo o homem apontado como o cérebro dos atentados, Khalid Sheikh Mohamed.