Dalai lama acusa Pequim de ter convertido o Tibete em um inferno

Agência AFP

NOVA DÉLHI - Em discurso pelo 50º aniversário da revolta que levou Dalai Lama ao exílio, o líder espiritual acusou a China de ter convertido o Tibete em um inferno e de ter matado centenas de milhares de tibetanos.

De seu exílio em Dharamsala, no norte da Índia, o Dalai Lama pediu mais uma vez a autonomia para o seu país. - Estes últimos 50 anos têm sido de sofrimento e destruição para o povo do Tibete - disse o Dalai Lama, prêmio Nobel da Paz de 1989, em um discurso feito em um templo do Himalaia indiano.

- Após a ocupação do Tibete, o governo chinês utilizou campanhas violentas e repressão. Os tibetanos estão vivendo, literalmente, um inferno na Terra - acusou o líder budista.

- A consequência imediata destas campanhas foi a morte de centenas de milhares de tibetanos - afirmou.

O governo chinês reagiu, acusando Dalai Lama de difundir boatos. - O bando de Dalai Lama não distingue o verdadeiro do falso. Divulga apenas boatos - declarou um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês.