Premier do Zimbábue nega tentativa de assassinato

Agência AFP

HARARE - O primeiro-ministro do Zimbábue, Morgan Tsvangirai, descartou nesta segunda-feira que o acidente de trânsito que matou sua esposa, Susan, na sexta-feira passada, tenha sido uma tentativa de assassinato.

- Quando acontece algo, sempre há especulações, mas quero destacar que neste caso, se foi um ato criminoso, seria uma posibilidade entre mil. Foi um acidente e infelizmente ela morreu - declarou Tsvangirai, que retornou ao Zimbábue para preparar o funeral da esposa.

O acidente aconteceu na sexta-feira quando o casal retornava de carro para Harare, procedente de Buhera, donde participou de um comício.

O veículo do premier e um caminhão de uma agência anglo-americana se chocaram na estrada.

O acidente aconteceu três semanas depois de Tsvangirai assumir o cargo de primeiro-ministro em um governo de união presidido por Robert Mugabe, no poder desde 1980.

Tsvangirai retornou nesta segunda-feira a Harare depois de ser submetido a exames médicos em Botsuana.

O avião presidencial de Botsuana com Tsvangirai pousou às 11H30 locais (6H30 de Brasília) no aeroporto internacional. O chefe de Governo não tinha bandagens visíveis, mas estava com o rosto inchado.

O premier retornou ao Zimbábue para preparar o funeral da esposa. Na terça-feira será celebrado um ato público em memória de Susan Tsvangirai na capital Harare, com o funeral na quarta-feira em Buhera, sua cidade natal.