Parlamento chinês descarta democracia de modelo ocidental

Agência AFP

PEQUIM - A China não abandonará o sistema comunista de partido único, nem adotará uma democracia de estilo ocidental, afirmou o presidente do Parlamento da China, a poucos meses do 20º aniversário dos protestos por democracia na Praça Tiananmen (Praça da Paz Celestial).

- Em nenhum caso podemos copiar o sistema ocidental. Nunca aplicaremos um sistema de pluralidade de partidos, a separação do poderes Legislativo, Executivo e Judiciário ou o sistema de duas assembleias representativas - afirmou Wu Bangguo em um discurso para o plenário da Assembleia Nacional Popular.

Bangguo destacou ainda que a China tem um 'sistema de cooperação y de consultas políticas sob a direção do Partido Comunista Chinês, não um sistema pluralista à moda ocidental'.

Wu Bangguo, 67 anos, é oficialmente a segunda personalidade do Estado chinês depois do presidente Hu Jintao, mas de fato quem ocupa a função é o primeoro-ministro Wen Jiabao.

Este ano será completado o 20º aniversário da repressão do movimento por democracia da praça Tiananmen de Pequim, na noite de 3 de junho de 1989, no qual morreram milhares de pessoas, segundo os ativistas.