Israel acusará ex-presidente Katsav de estupro e ofensas sexuais

REUTERS

JERUSALÉM - O procurador-geral de Israel, Menachem Mazuz, acusará o ex-presidente do país Moshe Katsav de estupro e outras ofensas sexuais contra funcionárias enquanto atuava como presidente e ministro do Turismo, informou o Ministério da Justiça em um comunicado.

Mazuz também acusará Katsav por obstrução da Justiça, ainda segundo o documento.

Katsav renunciou em junho de 2007 após ter sido culpado por atos indecentes contra uma funcionária. Outra empregada também o acusou de estupro.

Em abril de 2008, Katsav rejeitou um acordo judicial sob o qual as acusações de estupro e um possível termo de prisão seriam retirados em troca da confissão de ofensas sexuais mais brandas.

O assistente de Katsav disse à Rádio Israel que o ex-presidente estava feliz com a decisão da acusação, porque assim teria a chance de provar sua inocência na corte judicial.

Shimon Peres sucedeu Katsav em julho de 2007.