Tribunal de Haia ordena prisão de presidente do Sudão

REUTERS

HAIA - A Corte Internacional Criminal, em Haia, expediu um mandado de prisão contra o presidente sudanês, Omar Hassan al-Bashir, por crimes contra a humanidade e crimes de guerra em Darfur. A ordem e o indiciamento, que podem levar ainda mais instabilidade à problemática região, faz de Bashir a principal autoridade perseguida pela corte de Haia.

Bashir, que nega os crimes, é acusado de orquestrar uma campanha de violência em Darfur, região no oeste do país, a partir de 2003. O procurador-chefe do tribunal, Luis Moreno-Ocampo, disse que 35 mil pessoas foram mortas imediatamente e pelo menos outras 100 mil depois de passar fome ou por doenças.

Depois da decisão, centenas de pessoas se reuniram no centro de Cartun, capital do Sudão, para protestar contra o tribunal. O governo sudanês disse na TV estatal que a medida faz parte de um plano 'neo-colonialista'.

O assessor presidencial Mustafa Osman Ismail disse que o governo não está surpreso com a decisão judicial.

- Eles não querem que o Sudão... se torne estável - afirmou.