Opositores são presos por massacre de camponeses na Bolívia

REUTERS

LA PAZ - Mais dois líderes opositores ao governo de Evo Morales, na Bolívia, foram detidos na terça-feira, segundo uma rádio local, acusados de incitar a violência na 'matança de Pando', ocorrida em setembro do ano passado e que deixou pelo menos 20 camponeses governistas mortos.

As prisões ocorrem no momento de impasse no diálogo entre a oposição e o governo sobre a implementação do processo de autonomia regional previsto na nova Constituição socialista.

Segundo a rádio Fides, os irmãos Juan Carlos e Saúl Herrero Abrego foram presos no departamento amazônico de Beni. A população reagiu indignada à detenção, realizando na noite de terça-feira uma vigília para impedir que eles fossem transferidos à capital La Paz.

Os irmãos Abrego se somam aos sete opositores presos há duas semanas no departamento de Pando.

Para iniciar o diálogo com o governo, os governadores de oposição exigem a libertação dos que consideram ser 'presos políticos', como o prefeito suspenso de Pando, Leopoldo Fernández.