Talibã sequestra alto funcionário do governo paquistanês

REUTERS

MINGORA - Militantes do Talibã sequestraram uma importante autoridade do governo paquistanês e seis de seus seguranças no valo do Swat, no noroeste do Paquistão, neste domingo, disseram o grupo terrorista e as autoridades, o que representou um duro golpe nos esforços de pacificação no país.

Khushal Khan viajava de carro para Mingora, a principal cidade de Swat, quando foi levado por 'infiéis', disse Syed Mohammad Jawed, comissário da divisão de Malakand, que inclui Swat, à Reuters.

Na segunda-feira, as autoridades paquistanesas haviam fechado um acordo com grupos islâmicos para restabelecer a lei de sharia em um esforço para pacificar Swat, um vale montanhoso onde os militares paquistaneses vêm lutando para conter a insurgência Talebã.

Muslim Khan, porta-voz do Talebã em Swat, disse que o grupo reclamou a autoria do sequestro do administrador.

- Ele é nosso convidado. Temos que discutir alguns assuntos com ele. Vamos lhe servir chá e depois libertá-lo - disse ele.

O primeiro-ministro paquistanês, Yousaf Raza Gilani, instruiu as autoridades a garantir a recuperação rápida e segura do funcionário e de seus seguranças.

- O primeiro-ministro também orientou os organismos da lei a manter uma forte vigilância sobre os elementos anti-governo que desejam impedir os esforços estatais pela restauração da paz e da tranquilidade em Swat e em áreas vizinhas - disse o gabinete de Gilani em um comunicado.

Cerca de 1.200 pessoas foram mortas e entre 250 e 500 mil fugiram do vale do Swat desde que a violência se intensificou a partir da metade de 2007.

Um jornalista trabalhando para uma rede de televisão e um jornal locais foi sequestrado e assassinado na quarta-feira enquanto cobria uma 'marcha pela paz', liderada pelo clérigo radical Maulana Sufi Mohammad, libertado pelo governo para negociar a paz.