Paquistão tentará tranquilizar EUA sobre pacto com islâmicos

REUTERS

ISLAMABAD - O ministro das Relações Exteriores do Paquistão disse que tentará tranquilizar os Estados Unidos sobre um pacto com um grupo islâmico na região conflituosa do noroeste do país, durante uma viagem a Washington esta semana.

Segundo os termos do acordo, o governo da província concordou em restaurar a lei islâmica sharia no vale do Swat para pacificar a crescente militância, gerando preocupações de que as autoridades estariam cedendo aos membros do Talibã.

- Se Deus quiser, seremos capazes de dissipar as reservas que eles expressaram. Quando nós explicarmos a eles a situação local e os objetivos pelos quais tomamos esta medida e colocarmos nosso ponto de vista, eu acho, que a confusão acabará - disse o ministro Shah Mehmood Qureshi a repórteres em declarações transmitidas pela televisão estatal paquistanesa neste domingo.

Qureshi visitará os Estados Unidos esta semana para participar de uma revisão da política estratégica dos EUA para a região.

O enviado dos EUA para o Afeganistão e Paquistão, Richard Holbrooke, disse na quinta-feira ter ligado para o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, e expressou a preocupação dos EUA sobre o pacto com os islâmicos.