Polícia intimida dissidentes chineses durante visita de Clinton

Agência AFP

PEQUIM - Ativistas chineses dos Direitos Humanos disseram neste sábado que a Polícia os intimidou para que não protestassem durante a visita a Pequim da secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton.

- Estou agora mesmo em prisão domiciliar porque Hillary Clinton veio- disse à AFP Zeng Jinyan, dissidente e esposa de Hu Jia, prêmio Sakharov 2008 do Parlamento Europeu e que cumpre uma pena de três anos e meio de prisão por tentativa de subversão.

A organização Chinese Human Rights Defenders indicou que havia registrado vários casos de dissidentes vigiados, interrogados e seguidos nos últimos dias pela Polícia, para que se mantivessem em silêncio durante a visita de Hillary, que começou na sexta-feira e termina no domingo.