Paquistão afirma que negocia trégua permanente com talibãs

REUTERS

SÃO PAULO - O Paquistão afirmou neste sábado que autoridades entraram em acordo com combatentes do Talibã para uma trégua "permanente" no vale do Swat, no noroeste do país. Um comandante talibã, por sua vez, disse que seu cessar-fogo será reavaliado na semana que vem.

- Eles se comprometeram a observar um cessar-fogo permanente e nós faremos o mesmo - disse aos jornalistas o comissário de Malakand, Syed Mohammad Javed, depois de se reunir com anciãos em Swat.

Por causa do conflito, cerca de 1.200 pessoas foram mortas e entre 250 mil e 500 mil abandonaram o vale, localizado dentro da região de Malakand, na província da Fronteira Noroeste.

No domingo passado, militantes islâmicos declararam um cessar-fogo de 10 dias no vale, como um "gesto de boa vontade" para negociações de paz. A trégua expira na quarta-feira.

- Ouvimos que o governo anunciou um cessar-fogo permanente, mas nós declaramos um cessar-fogo de 10 dias e, quando se encerrar, vamos examinar a prorrogação - disse o comandante taliban Maulana Fazlullah a uma rádio ilegal.

Governos de países ocidentais e muitos paquistaneses ficaram alarmados diante da oferta do governo do Paquistão de reinstaurar a lei islâmica da sharia em Malakand, se o Taliban concordar em firmar a paz.

Eles temem que um cessar-fogo possa resultar em um outro santuário no Paquistão onde a rede Al Qaeda e militantes do Taliban transitariam livremente, e também receiam que os combatentes do Taliban de outras regiões possam se sentir estimulados em suas ações pela decisão do governo.