Japoneses querem que primeiro-ministro renuncie, diz pesquisa

REUTERS

TÓQUIO - Uma pesquisa publicada neste sábado por um jornal mostrou que 71% dos eleitores japoneses querem que o primeiro-ministro Taro Aso renuncie logo, aumentando a pressão sobre o impopular líder antes de uma eleição que ocorrerá este ano.

A sondagem, feita nos dias 19 e 20 de fevereiro pelo jornal Asahi, também mostrou que 64 por cento apoiam uma eleição antecipada para acabar com o impasse político que está atormentando o Japão enquanto sua economia cai em recessão.

A notícia negativa para Aso chega antes de uma visita a Washington, onde ele deve se encontrar na terça-feira com o presidente dos EUA, Barack Obama, na Casa Branca.

Aso, de 68 anos, sofreu um grande revés nesta semana quando o seu ministro das Finanças renunciou após ter sido forçado a negar que estava bêbado em uma coletiva de imprensa do G-7 em Roma.

O Partido Liberal Democrata (PLD), que está no poder há muito tempo, escolheu Aso em setembro, na esperança de que ele poderia levar a legenda à vitória em uma eleição que deve ser realizada em outubro. Entretanto, suas taxas de aprovação vêm caindo após uma série de mudanças súbitas e gafes.

A pesquisa do Asahi mostrou que o apoio ao gabinete de Aso é de apenas 13 por cento, um ponto percentual a menos do que o registrado em sondagem dos dias 7 e 8 de fevereiro. Estudo de uma emissora de TV já colocou o número abaixo dos 10 por cento.

Os pedidos para que substituam Aso antes da eleição aumentaram dentro do próprio partido, que corre cada vez mais o risco de perder o pleito.