Analistas céticos em relação a mudanças com vizinhos árabes

Jornal do Brasil

DAS AGÊNCIAS INTERNACIONAIS - Analistas estão céticos quanto a mudanças que as eleições podem trazer na relação entre Israel e seus Estados vizinhos.

Para eles, todos os líderes israelenses seja do Partido Trabalhista, do Kadima ou do Likud representam os mesmos interesses. Os candidatos, acreditam, possuem táticas diferentes, mas coincidem em sua recusa de fazer qualquer concessão para conseguir uma paz duradoura com os palestinos.

Em entrevista à agência France Presse, o professor de Direito Internacional e Constitucional da Universidade do Cairo, Hosam Issa, disse que as eleições israelenses não servirão para nada em relação à linha dura adotada por Israel para alcançar a paz com os palestinos.

Desde que os territórios árabes foram ocupados há 42 anos nenhuma concessão foi feita no processo de paz. As negociações parecem uma comédia de humor negro dirigida pelos Estados Unidos e Israel afirmou.

Isso se refere às conversas infrutíferas entre palestinos e israelenses desde a assinatura dos Acordos de Oslo em 1993, que despertaram esperanças entre os árabes sobre a resolução do conflito.

O analista Nabil Zaki fala em piora da situação caso Benjamin Netanyahu vença a disputa hoje.

Se chegar ao poder, espero de Israel políticas mais agressivas sobre o processo de paz, já que o líder do Likud oferece pouco aos palestinos em troca do fim do conflito.