Quase 14 mil fogem de zona de guerra no Sri Lanka

C. Bryson Hull, REUTERS

COLOMBO - Mais de 1.400 civis fugiram de zona de guerra no Sri Lanka no domingo, elevando o total nos últimos quatro dias para quase 14 mil. Soldados do país tentam impor um golpe mortal aos rebeldes separatistas Tigres de Tamil, informaram militares.

O número de civis presos no confronto entre os militares e os rebeldes aumentou drasticamente esta semana, sinalizando intenção das rápidas operações do exército de eliminar as guerrilhas.

Mais de 50 mil soldados estão convergindo para uma área de floresta da ilha do oceano Índico para enfrentarem os rebeldes dos Tigres de Libertação de Tamil Eelam (LTTE, na sigla em inglês). Estima-se que o número de guerrilheiros tenha sido reduzido a não mais de 2 mil combatentes radicais. A guerra atinge o país desde 1983.

Os combates envolvem uma série de locais na zona de guerra de 67 quilômetros quadrados. Pelo menos 11 guerrilheiros foram mortos em uma série de ataques e contra-ataques no sábado, informou o exército.

O governo, agências humanitárias e grupos de defesa dos direitos humanos têm acusado os rebeldes de forçar civis a continuarem na zona de guerra, usando-os como escudos humanos e trabalhadores. Os Tigres negam a acusação.

O site de apoio aos rebeldes www.tamilnet.com acusa o exército de matar mais de 120 pessoas na sexta-feira e no sábado, mas não cita fontes. Os militares negam que tenham civis como alvos.

A verificação das informações do local da batalha é quase impossível porque a zona de confronto está isolada da mídia independente.