Rússia manda mensagem conciliadora a Obama

REUTERS

MUNIQUE - A Rússia disse na sexta-feira que o novo governo norte-americano representa uma 'janela de oportunidade' para resolver as profundas discordâncias bilaterais a respeito do escudo antimísseis que os EUA pretendem instalar na Europa Oriental.

Em 2008, o governo de George W. Bush fechou acordos para instalar dez interceptadores de mísseis na Polônia e um radar na República Tcheca, o que Moscou vê como uma ameaça à sua segurança - embora Washington garanta que se trata de uma dissuasão contra 'Estados párias', como o Irã.

Em novembro, no dia seguinte à eleição do presidente Barack Obama, o presidente russo, Dmitry Medvedev, disse que enviaria mísseis Iskander para o encrave de Kaliningrado, fronteira com a Polônia, caso os EUA insistissem no projeto.

Na sexta-feira, na abertura da Conferência de Segurança de Munique, um evento anual, o vice-premiê russo Sergei Ivanov disse que Medvedev está disposto a mudar de postura caso Washington reveja os planos para o escudo.

- O presidente Medvedev desde o começo disse muito claramente e inequivocamente que, se não houver interceptadores na Polônia e (um radar) na República Tcheca, como planejado pelo governo anterior (dos EUA), claramente não haverá Iskanders em Kaliningrado - afirmou Ivanov.

Militares russos disseram na semana passada a uma agência de notícias que o Kremlin suspendera a mobilização dos mísseis. Mas Ivanov é a primeira autoridade de alto escalão a confirmar esse recuo.

Ele disse que 'uma nova situação' surgiu com a posse de Obama, em janeiro. 'É uma janela de oportunidade', disse, enfatizando a preferência da Rússia por resolver a questão diplomaticamente.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais