Secretário-geral da ONU visita Faixa de Gaza devastada

Nidal al-Mughrabi e Louis Charbonneau, REUTERS

CIDADE DE GAZA - Confrontado com cenas chocantes de destruição, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, fez uma visita à Faixa de Gaza na terça-feira, e Israel se esforçava para retirar as tropas do território antes da posse de Barack Obama na Presidência dos Estados Unidos.

Em visita ao Oriente Médio, Ban foi a figura internacional de mais alto escalão a visitar Gaza desde que as tréguas separadas declaradas por Israel e Hamas puseram fim a 22 dias de ofensiva israelense e a disparos de foguetes palestinos contra Israel.

- Eu vi apenas parte da destruição. É chocante e alarmante - disse Ban, que condenou o uso "excessivo de força" por parte de Israel e pela saraivada de foguetes dos militantes palestinos. - As cenas que vi são de cortar o coração.

Fontes políticas israelenses disseram que Israel planeja concluir a retirada de suas tropas antes da posse de Obama, prevista para as 15h (hora de Brasília). Analistas viram a retirada como esforço para evitar quaisquer tensões com o novo presidente americano.

Em meio a multidões agitando bandeiras do Hamas, Ban dirigiu-se em um comboio até o complexo ocupado pela UNRWA, a agência da ONU que presta assistência aos refugiados palestinos, na cidade de Gaza.

Na quinta-feira passada, um bombardeio israelense incendiou o depósito de alimentos e combustíveis da instalação da UNRWA, num incidente descrito por Ban no dia como "ultraje". Israel pediu desculpas, mas disse que o fez porque foi alvo de disparos de militantes no complexo.

Muitos palestinos retornaram aos escombros do que tinham sido suas casas em subúrbios da cidade de Gaza fortemente atingidos nos combates. Eles vasculhavam os escombros, tentando resgatar alguns de seus pertences.

Representantes do Hamas disseram que duas crianças que brincavam com munições não detonadas morreram quando as munições explodiram.

Ban Ki-moon, que se reuniu com o premiê israelense Ehud Olmert antes de viajar à Faixa de Gaza, pretendia visitar mais tarde no dia o sul de Israel, uma área atingida por foguetes palestinos durante a guerra de Gaza.

No gabinete do primeiro-ministro, Ban disse que quer ajudar a fazer o cessar-fogo ser "duradouro".

Os líderes mundiais estão ansiosos por consolidar uma trégua e evitar mais derramamento de sangue na Faixa de Gaza, onde mais de 1.300 palestinos foram mortos nos ataques aéreos e terrestres de Israel lançados em 27 de dezembro com o objetivo declarado de pôr fim aos disparos de foguetes contra Israel.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais