Dissidente chinesa é detida após manifestação

Agência AFP

XANGAI - Uma dissidente chinesa foi detida pela polícia de Xangai por ter se manifestado em favor dos direitos do Homem, denunciaram a Human Rights da China e a Anistia Internacional.

Mao Hengfeng, 47 anos, havia participado na segunda-feira de manifestação que reuniu cerca de 100 pessoas do lado de fora do prédio oficial onde se realizava a sessão plenária anual da assembléia de Xangai.

- Os representantes do povo devem representar o povo, se opor à tortura e à perseguição, exigir os direitos do Homem - disse ela, segundo um comunicado da Human Rights.

De acordo com a informação, Mao Hengfeng está ainda detida pela polícia e ficará presa durante sete dias 'por causar tumultos à ordem pública'.

No final dos anos 80, Hengfeng havia tido outros problemas com as autoridades por ter se recusado a fazer um aborto. Foi internada durante três vezes em hospitais psiquiátricos - uma forma utilizada com freqüência na China para fazer calar os dissidentes.