Celular é usado para guerra psicológica em Gaza

Portal Terra

GAZA - Em um conflito marcado pela alta tecnologia empregada pelas forças israelenses, celulares vêm se transformando em uma arma na guerra psicológica na qual tanto os judeus quanto os palestinos se tornam vítimas. Segundo informações do jornal americano USA Today, os telefones móveis são usados por ambos os lados para aterrorizar o inimigo.

Hagar Mizrachi, um israelense de 25 anos, diz que recentemente recebeu uma mensagem de texto dizendo que ataques contra cidades israelenses eram iminentes. Quem assinava o texto era "Hamas", e o nome do remetente era "Qassam.hamm". Qassam é o nome de um dos foguetes utilizados pelo militantes islâmicos para atacar Israel.

- Fico nervoso ao receber este tipo de mensagem - disse Mizrachi.

- É como se eles tivessem invadindo nosso território - acrescentou. Segundo o especialista em guerra psicológica da Universidade de Haifa Yaniv Levytan, o uso de telefones celulares é comum, pois os militantes geralmente são jovens e cresceram utilizando o aparelho.

Do lado palestino, as mensagens vêm de ambos os lados, seja encorajando a população a fazer parte do Hamas ou alertando para as bombas jogadas pelos israelenses.

- Nós não podemos fazer nada a respeito - disse Amman ker, chefe da empresa palestina de telefonia móvel Jawwal, que opera em Gaza. Segundo ele, as ligações internacionais não podem ser rastreadas.

Oficiais israelenses dizem que estão fornecendo aos palestinos um serviço ao avisar os civis sobre os ataques.

- Nós temos que fazer o possível para avisar os civis - disse o major Jacob Dallal, um porta-voz militar de Israel. Ele não quis responder, no entanto, como são obtidos os números dos telefones celulares da população de Gaza.