Obama promete a Calderón melhores relações com o México

REUTERS

WASHINGTON - O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, disse na segunda-feira ao presidente do México, Felipe Calderón, que vai se empenhar para fortalecer as relações bilaterais, especialmente no campo energético.

Obama tem prometido melhores relações com a América Latina em geral, que se sente negligenciada nos oito anos do governo de George W. Bush.

-Minha mensagem hoje é a de que o meu governo estará pronto desde o primeiro dia para trabalhar para construir uma forte relação com o México-, disse Obama após um típico almoço mexicano com Calderón.

Foi o primeiro encontro do futuro presidente com um dignitário estrangeiro desde sua eleição, em 4 de novembro.

-A amizade entre os Estados Unidos e o México tem sido forte. Acredito que possa ser ainda mais forte, e esse será o compromisso do meu governo-, afirmou Obama a jornalistas.

-Será o começo de uma era extraordinária na relação entre os Estados Unidos e o México", disse Calderón, que defendeu mais união contra o crime organizado. "Quanto mais seguro estiver o México, mais seguros estarão os EUA-, afirmou.

Em meio a temores de que Obama tente rever o tratado do Nafta (Área de Livre-Comércio da América do Norte), Calderón estava ansioso para conhecer o novo presidente.

Obama elogiou Calderón por sua atuação nos campos de energia e mudança climática, áreas em que segundo ele pode haver mais cooperação.

-As perspectivas de que trabalhemos juntos em estratégias energéticas através das fronteiras será criticamente importante-, disse Obama. O presidente eleito informou ter conversado também sobre imigração, segurança da fronteira e sobre a crise global.

O México, que tem nos EUA o destino de 80 por cento das suas exportações, se ressente diretamente da recessão norte-americana, por causa das demissões em empresas que fazem negócios com o vizinho do norte e da redução das remessas financeiras de imigrantes mexicanos para seus parentes.