Israel avança enquanto Quarteto e União Européia pedem cessar-fogo

Jornal do Brasil

GAZA - Os ataques que chegaram ao quarto dia na Faixa de Gaza, deixando quase 400 mortos e mais de 1.500 feridos está, de acordo com autoridades israelenses, no estágio inicial. Conforme alertou o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, a ofensiva aérea encontra-se apenas no começo.

Estamos no primeiro estágio da operação frisou Olmert ao presidente Shimon Peres, durante um encontro na manhã desta terça.

A declaração de Olmert é feita um dia depois de o ministro da Defesa, Ehud Barak, ter dito ao Parlamento israelense que a campanha lançada sábado marca uma guerra total contra o Hamas grupo militante que controla Gaza.

Diante do estágio crítico a que chegou o conflito na região, o presidente americano, George Bush, pediu ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas cujo governo está baseado apenas na Cisjordânia e ao primeiro-ministro da ANP, Salam Fayyad, que fosse discutido um cessar-fogo sustentável

O Ministério da Defesa de Israel recomendou ao premier Ehud Olmert uma trégua de 48 horas com o Hamas, para uma iniciativa diplomática que evitaria o iminente ataque terrestre à Faixa de Gaza. Segundo o jornal israelense Haaretz, o objetivo da trégua seria testar se o o grupo islâmico cumpriria a trégua temporária e interromperia o lançamento de foguetes Qassam em território israelense.

Em duas ligações para Barak, o ministro das Relações Exteriores francês, Bernard Kouchner, apelou para que autoridades israelenses considerassem um acordo humanitário que permitisse a entrada de suprimentos e artigos médicos na Faixa de Gaza.

Europa

Nesta terça-feira, nações da União Européia pressionaram por um acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas, em um encontro de chanceleres europeus em Paris convocado com urgência para discutir a crise na região. O Quarteto do Oriente Médio grupo formado por União Européia, Estados Unidos, Rússia e Organização das Nações Unidas (ONU) para administrar e tentar pacificar os conflitos na região também pressionou ambos os lados por um cessar-fogo imediato.

Queremos um cessar-fogo permanente e respeitado, com um acesso humanitário porque as vítimas são muitas e é preciso garantir que elas tenham acesso a cuidados médicos. Além disso, queremos um retorno ao processo de paz enumerou o chanceler francês durante uma interrupção da reunião dos 27 países-membros.

A Força Aérea israelense atacou a casa de um dos maiores líderes do Hamas, Abdel-Karim Jaber, em um campo de refugiados em Jabaliya. No ataque, ao menos sete pessoas morreram. Jaber, administrador sênior da Universidade Islâmica um dos símbolos destruídos do Hamas não estava em casa.

Os quatro dias de ataques israelenses contra alvos vinculados ao Hamas na chamada operação Chumbo Fundido já mataram o maior número de palestinos desde a Guerra dos Seis Dias de 1967.

De acordo com o Haaretz, o Exército de Israel fez ao menos 325 ataques aéreos e marítimos desde sábado, quando foi iniciada a grande ofensiva, que destruiu também um terço do arsenal de foguetes do Hamas.

Discursando em cadeia nacional de televisão, nesta terça, o presidente do Egito, Hosni Mubarak, disse que só abrirá a fronteira com a Faixa de Gaza quando Mahmud Abbas retomar o controle que perdeu para o Hamas no ano passado.