Hamas nega que esteja disposto a assinar cessar-fogo

Agência ANSA

BEIRUTE - O movimento palestino Hamas desmentiu nesta segunda-feira que estaria disposto a assinar um acordo de cessar-fogo com Israel. A informação havia sido difundida pelo governo do Senegal em um comunicado.

- O Hamas desmente oficialmente o comunicado do governo senegalês - disse à ANSA Osama Hamdan, representante do movimento palestino no Líbano.

No documento, havia a informação de que o líder do partido Hamas, Khaled Meshaal, havia dito ao presidente do país africano, Abdoulaye Wade, que estaria disposto a assinar um acordo de cessar-fogo com Israel colocando como pré-condição o fim do bloqueio comercial imposto à Faixa de Gaza. Wade é o atual líder da Organização da Conferência Islâmica (OCI, na sigla em Inglês).

Mas, segundo Hamdan, o que teria sido dito por Meshaal é que o Hamas exige o fim imediato da agressão israelense e a abertura das fronteiras entre Israel e o território da Faixa de Gaza. "Somente depois de ter estes pedidos atendidos, o Hamas pode discutir outras questões", explicou.

Hamdan indicou ainda que os ataques realizados pelas Forças Armadas israelenses desde o último sábado já mataram 328 "mártires palestinos", número que segundo ele pode aumentar, dado que muitos estão gravemente feridos.

Na maior ofensiva militar realizada por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967, mais de 300 pessoas já morreram e cerca de mil estão feridas. A maioria das vítimas é de militantes do Hamas.