Equador: autoridades militares afirmam que quartéis estão sob controle

Agência AFP

QUITO - Autoridades militares do Equador afirmaram nesta segunda-feira que os quartéis estão sob controle, depois de uma onda de rumores sobre um suposto mal-estar relacionado à administração de recursos e as novas disposições sobre a reserva remunerada - as aposentadorias militares do serviço ativo.

- Sou o comandante e as tropas estão sob controle - expressou o comandante do Exército, general Ernesto González, em declarações ao jornal El Universo do porto de Guayaquil (sudoeste); acrescentou que - estamos preparados para tomar medidas corretivas - ante uma suposta tentativa de sublevação.

O vice-ministro da Defesa, Miguel Carvajal, disse por sua vez que "a situação é absolutamente normal" destacando que a cúpula militar esclareceu algumas preocupações dos soldados durante quatro reuniões convocadas pela pasta nos últimos dias.

- Mas há também uma série de rumores absolutamente falsos que buscam criar desarmonia e incerteza nas Forças Armadas - afirmou, em entrevista ao canal Ecuavisa.

- Nossa mensagem é clara: atender os reclamos justos e legítimos, mas dentro de uma estrutura que respeita a disciplina e a hierarquia das Forças Armadas - enfatizou.

- Existe desinformação de grupos interessados em causar danos à instituição e ao governo - indicou o comandante do Exército ao ser ouvido sobre o mal-estar entre as tropas.

O governo havia admitido domingo um descontentamento militar ante uma eventual ampliação de 20 para 25 anos do tempo de serviço na ativa e a redução do dinheiro destinado aos gastos com alimentação da tropa.

O Equador conta com uma força de 56.500 militares, segundo estatísticas privadas.