Manifestantes vão às ruas no Cairo contra ofensiva de Israel em Gaza

Agência AFP

CAIRO - Mais de 2.000 pessoas se manifestaram, neste sábado, no Cairo, contra a ofensiva de Israel na Faixa de Gaza, que deixou mais de 200 mortos, e acusaram o presidente egípcio, Hosni Mubarak, de cumplicidade.

- Mubarak e (a chanceler israelense) Tzipi Livni concordaram com o genocídio do povo palestino - dizia uma faixa dos manifestantes. - Mubarak é cúmplice dos ataques contra o povo palestino - lia-se em outra.

Em uma reunião, na quinta-feira, no Cairo, com o presidente egípcio, Livni disse que Israel atacaria os responsáveis pelo Hamas, que detêm o poder na Faixa de Gaza, já que uma escalada de violência no território palestino quebrou as esperanças de uma nova trégua mediada pelo Egito.

A última trégua expirou em 19 de dezembro.

Participaram dessa manifestação praticamente todos os partidos de oposição.