Livni promete acabar com influência do Hamas em Gaza

Agência AFP

CAIRO - A ministra israelense das Relações Exteriores, Tzipi Livni, prometeu nesta quinta-feira no Cairo acabar com o controle do movimento radical palestino Hamas na Faixa de Gaza e afirmou que a situação "vai mudar", depois da última escalada de violência na região.

- Já basta! A situação vai mudar - declarou Livni depois de uma reunião com o presidente do Egito, Hosni Mubarak, sobre a situação na Faixa de Gaza, de onde aumentam a cada dia os disparos de foguetes contra Israel depois do fim de uma trégua de seis meses, no dia 19 de dezembro, entre Israel e o Hamas negociada pelo Cairo.

- Infelizmente, o Hamas controla (a Faixa de Gaza), e o Hamas decidiu atacar Israel. É preciso acabar com isto e é o que vamos fazer - advertiu.

- O Hamas deve compreender que nossas aspirações de paz não significam que Israel aceite esta situação - insistiu Livni.

A chanceler israelense qualificou de "escalada intolerável" os disparos de foguetes na quarta-feira contra Israel.

Um porta-voz militar israelense informou que 84 projéteis foram lançados na quarta-feira a partir da Faixa de Gaza, sem provocar feridos mas sim danos materiais. Nesta quinta-feira já foram quatro foguetes, sem provocar vítimas.

Três ativistas do Hamas morreram em ações israelenses desde sexta-feira, quando chegou ao fim a trégua de seis meses entre Israel e o Hamas.

- O controle do Hamas sobre a Faixa de Gaza não é apenas um problema israelense. Entendemos as necessidades do Egito. O que estamos fazendo expressa as necessidades da região - acrescentou Livni.

O chanceler egípcio, Ahmad Abult Gheit, tentou atenuar as declarações de Livni ao pedir moderação e calma na Faixa de Gaza.

- O Egito esclareceu que Israel deve mostrar moderação e Israel indicou que os disparos de foguetes devem cessar. O presidente (Mubarak) disse claramente que não deve acontecer um castigo coletivo aos disparos de grupos armados palestinos - declarou.