Rice julga 'legítima' candidatura do Brasil ao Conselho de Segurança

Agência AFP

WASHINGTON - A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, considerou nesta segunda-feira que é legítimo examinar a entrada do Brasil no Conselho de Segurança da ONU, dentro de uma ampliação do principal órgão decisório das Nações Unidas.

- Os Estados Unidos nunca tinham tido relações estreitas com o Brasil e nunca tinham reconhecido a emergência do Brasil enquanto democracia multicultural, pronta para ocupar um lugar de destaque no cenário mundial - disse a secretária, que deixar o cargo em 20 de janeiro.

Ela acrescentou, porém, que os laços - se reforçaram entre esta administração (Bush) e um presidente de esquerda (Luiz Inácio Lula da Silva).

Considerando a importância do Brasil, - eu acredito que teremos um bom argumento para que (esse país) se torne um membro do Conselho de Segurança (...) no âmbito de uma reforma global - desse órgão da ONU, debatida há anos.

O Conselho de Segurança tem 15 membros, cinco deles permanentes e com direito de veto: China, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha e Rússia.

Vários países pedem sua ampliação e a admissão de Estados de economia forte e generosos doadores, como Japão e Alemanha, assim como a de nações emergentes.

Em setembro deste ano, a Assembléia-Geral solicitou a abertura de negociações intergovernamentais antes de 28 de fevereiro para tratar do tema.