Crise no parlamento iraquiano atrasa discussão de retirada de tropas

Agência ANSA

BAGDÁ - Uma delicada crise parlamentar começou nesta segunda-feira no Iraque, por conseqüência das tensões dos últimos dias entre o presidente da Assembléia, o sunita Mahmoud al-Mashadani, e vários deputados.

Segundo a agência Nina, todos os chefes das coalizões parlamentares se reuniram hoje em Bagdá para deliberar se apresentarão um pedido de renúncia de Mashadani, acusado de calúnia contra o parlamento.

Durante a sessão da quarta-feira passada, dedicada ao caso do jornalista iraquiano que jogou seus sapatos no presidente norte-americano George W. Bush, Mashadani proferiu "graves ofensas" contra alguns deputados e qualificou toda a assembléia de "ridícula".

Não houve sessão no parlamento iraquiano hoje, por conta da ausência dos deputados dos dois principais grupos, a coalizão curda e a xiita, com 53 e 85 deputados, respectivamente, de um total de 275 cadeiras.

Sem quorum, foi cancelada a discussão do projeto de lei que prevê a retirada das tropas norte-americanas até o meio de 2009.