ONU exige respeito aos direitos humanos nos 60 anos da Declaração

Agência AFP

NOVA YORK - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, celebrou o 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, pedindo que o texto fundamental seja - completamente aplicado em todas partes, por todos.

Em uma mensagem em vídeo, gravada em Poznan (Polônia), onde acontece a cúpula sobre a mudança climática, Kim-moon afirmou que - nesse dia dos direitos humanos é nossa responsabilidade coletiva manter os direitos da Declaração Universal.

- Podemos honrar a atitude visionária que inspirou o documento apenas se seus princípios forem plenamente aplicados em todos os lados e por todos - frisou.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navathenem Pillay, destacou a necessidade de - não se tolerar qualquer compromisso ou aplicação seletivos - dos direitos humanos.

- Temos de trabalhar a favor da plena implementação dos direitos humanos no terreno, de tal modo que afete e melhore a vida de homens, mulheres e crianças que sofrem em razão de sua raça, sexo, religião, nacionalidade, renda, ou nascimento, para realizar cada um dos direitos estabelecidos pela Declaração Universal - completou.

Os 192 membros da Assembléia-Geral marcaram a data premiando quatro personalidades: a antecessora de Pillay, a canadense Louise Arbour; o ex-procurador-geral americano Ramsey Clark; o doutor Denis Mukwege, recompensado por sua ajuda às mulheres vítimas da violência sexual e física na República Democrática do Congo; e a diretora do grupo Jamaicans for Justice, doutora Carolyn Gomes.