Governador tenta vender vaga de Obama no Senado americano

Jornal do Brasil

WASHINGTON - Rod Blagojevich, governador de Illinois estado representado no Senado pelo presidente eleito dos EUA, Barack Obama foi preso ontem por acusações criminais que incluem a tentativa de vender o posto senatorial que vagou com a renúncia de Obama a quem pagasse mais, segundo promotores federais. Se Blagojevich não recebesse uma oferta a seu agrado, o governador estaria até disposto a nomear a si próprio. No fim do dia, o político foi libertado sob fiança. Ele apareceu no tribunal de roupa esportiva e não fez comentários ao depositar o valor de US$ 4.500. Agora, está sob custódia federal em sua casa, em Chicago.

Se não conseguir o que quero e não estiver satisfeito, eu simplesmente ficarei com o Senado para mim mesmo indicou o governador em conversas gravadas por escutas.

Blagojevich, democrata de 51 anos, e seu chefe de gabinete, John Harris, 46, foram acusados formalmente de conspiração e fraude, além de exigência de suborno.

A conduta dele faria Abraham Lincoln rolar no túmulo declarou o procurador Patrick Fitzgerald.

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, se disse triste com a situação e negou qualquer contato com Blagojevich sobre o suposto esquema de venda de sua vaga.

Em Illinois, o governador pode escolher um sucessor quando uma vaga no Senado é desocupada no meio do mandato. Obama renunciou a seu cargo no dia 16 de novembro, pouco depois de vencer as eleições presidenciais. Segundo promotores federais, Blagojevich teria chamado sua autoridade para nomear o sucessor do presidente eleito de uma oportunidade de ouro .

Blagojevich foi pego de calças curtas por uma série de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça no mês passado. Em troca pelo assento senatorial, o governador buscava um bom salário em uma fundação sem fins lucrativos ou afiliada a um sindicato, uma vaga em um conselho corporativo para sua mulher em que receberia remuneração anual de até US$ 150 mil (cerca de R$ 373 mil), promessas de verbas de campanha, e também um cargo de gabinete ou de embaixada para si, revelou um documento do FBI.

As acusações anunciadas revelam claramente que o escritório do governador nada mais era que um vetor de enriquecimento pessoal lamentou Robert Grant, agente especial do FBI em Chicago.

Blagojevich, que está em seu segundo mandato, é o último de uma série de governadores de Illinois a apresentar problemas com a lei. Seu antecessor, George Ryan, está na prisão após uma condenação por corrupção. Autoridades afirmaram que Blagojevich teria ameaçado suspender a ajuda concedida pelo governo de Illinois ao grupo de imprensa Tribune Company publisher dos jornais Chicago Tribune e Los Angeles Times que declarou falência na segunda-feira. Segundo autoridades, Blagojevich pretendia com isso provocar uma série de demissões de editorialistas que o criticaram durante seu mandato.