Republicanos impedem super maioria democrata no Senado dos EUA

REUTERS

ATLANTA - O republicano Saxby Chambliss, da Geórgia, se reelegeu na terça-feira para o Senado norte-americano com uma vitória confortável no segundo turno, tirando dos democratas a chance de conquistar uma super maioria de 60 assentos que daria ao partido do presidente eleito Barack Obama a chance de praticamente aprovar todas as legislações que quisesse.

Chambliss, que se elegeu pela primeira vez para o Senado em 2002, derrotou o democrata Jim Martin, numa disputa que ganhou importância nacional porque os democratas e seus aliados independentes conquistaram 58 dos 100 assentos do Senado depois das eleições de 4 de novembro.

Um assento de Minnesota segue indefinido, pois a votação será submetida a recontagem porque a diferença entre os candidatos foi muito apertada. A maioria de 60 assentos daria aos democratas a chance de superar obstáculos de procedimento estabelecidos pelos republicanos, que são minoria no Senado. Tal maioria seria particularmente potente com o presidente democrata Obama, que toma posse em 20 de janeiro.

- Hoje vocês mandaram uma importante mensagem ao mundo, que os valores conservadores da Georgia importam - disse Chambliss, de 65 anos, em seu discurso da vitória.

Martin, ex-parlamentar estadual de 63 anos, agradeceu aos eleitores e disse que a derrota representava 'um momento triste'.

Chambliss obteve 57,5 por cento dos votos, enquanto Martin recebeu 42,5 por cento da votação, de acordo com dados da secretaria de Estado da Geórgia.