Sexo é a atividade preferida dos britânicos em tempos de crise

Agência AFP

LONDRES - Os britânicos elegem o sexo como passatempo favorito durante a crise econômica, que reduz seu poder aquisitivo, revela uma pesquisa publicada nesta segunda-feira pelo Instituto YouGov.

Para 37% dos 2.000 entrevistados, o sexo é um bom substituto para impossibilidade de gastar dinheiro num shopping, por exemplo.

Conversar com os amigos ficou em segundo lugar com apenas 18%, enquanto sair para apenas olhar as vitrines ficou em terceiro lugar (9%). Visitar museus, um passeio geralmente gratuito na Grã-Bretanha, ficou em último lugar, com 6%.

No entanto, há grandes diferenças entre homens e mulheres. Elas colocam em primeiro lugar a conversa com amigos (28%), na frente do sexo (21%), ver vitrines (14%) e museu (7%). Em compensação, 53% dos homens citam o sexo como seu passatempo gratuito preferido, contra 8% para o bate-papo, 5% para os museus e 4% para ver vitrines.

Segundo os autores da pesquisa, o esporte ficou de fora das preferências porque uma academia custa entre 30 e 70 libras, ao passo que fazer sexo não implica gastos, além do fato de os preservativos serem distribuídos de forma gratuita.