Corte decide banir premier da Tailândia da política por 5 anos

REUTERS

BANGCOC - O primeiro-ministro tailandês, Somchai Wongsawat, foi banido da política por cinco anos e seu partido foi desmontado na terça-feira, aprofundando o país no caos e levantando temores de violência de simpatizantes do governo.

Integrantes do partido prometeram 'seguir em frente' e formar outro governo no mês que vem.

- Vamos todos mudar para um novo partido, o Pusa Thai, e buscar uma votação para primeiro-ministro em 8 de dezembro - disse Jatuporn Prompan, parlamentar do partido PPP.

A Corte Constitucional também desmontou outros dois partidos da coalizão de seis legendas que apoiavam Somchai pela acusação de fraude eleitoral nas eleições gerais de 2007. O tribunal também baniu os líderes desses partidos da política por cinco anos.

As decisões judiciais aumentam os riscos de violência entre aliados do governo, que fizeram manifestações do lado de fora do tribunal enquanto o veredito era lido, e milhares de manifestantes contrários ao governo, que bloqueiam os dois aeroportos da capital.

Horas antes da decisão do tribunal, uma pessoa morreu e outras 22 ficaram feridas após uma granada ser atirada contra manifestantes que cercavam o aeroporto de Don Muang.

Não houve reação imediata da Aliança Popular pela Democracia (APD) à decisão judicial. A APD invadiu os dois aeroportos de Bangcoc na semana passada em uma 'batalha final' para derrubar Somchai.

A APD havia recusado-se a negociar até que Somchai deixasse o poder. Eles acusam Somchai de ser uma marionete de seu cunhado, o ex-premier Thaksin Shinawatra, que foi derrubado por um golpe militar e que vive atualmente no exílio.