Berlusconi ataca imprensa e esquerda, após polêmica com Sky

Agência AFP

ROMA - O primeiro-ministro italiano, o conservador Silvio Berlusconi, atacou duramente nesta terça-feira a oposição de esquerda e a imprensa, afirmando que deveriam sentir "vergonha" e "mudar de profissão", em plena polêmica pela duplicação do IVA (imposto sobre valor agregado) sobre a TV por satélite.

Nos últimos dias, a oposição acusou Berlusconi, que é dono de três canais na TV aberta, de conflito de interesses, após a adoção, por parte de seu governo, de uma medida que duplica o IVA nas assinaturas de TV por satélite.

Na Itália, 91% desse setor está nas mãos da Sky (170 canais), propriedade do magnata de mídia Rupert Murdoch, que se beneficiava, até agora, de um IVA de 10%, em vez dos atuais 20%.

- Que vergonha. Não entendo os jornais que, em vez de se perguntarem como é que a Sky se beneficiou de privilégios, me atacam. Que vergonha! - declarou Berlusconi, segundo os jornais locais.

- Os diretores (desses jornais) e os políticos (de esquerda) devem mudar de profissão, ir para casa. Os políticos e os diretores de jornais como ''La Stampa'' (centro-direita) e ''Corriere della Sera'' (centro) deveriam mudar de trabalho - acrescentou.

Sobre a esquerda, Berlusconi disse que seus responsáveis "deveriam deixar a política e ir para casa. Deveriam se esconder depois de se comportarem assim. Eu, no seu lugar, iria para casa", insistindo em falar em "uma esquerda da vergonha".

Na segunda-feira, Berlusconi disse que "a esquerda deu à Sky, devido às suas relações com essa televisão, o privilégio de um IVA de 10%".

O jornal "La Repubblica" (esquerda) informou que esse "privilégio" não foi concedido pela oposição, mas pelo governo de Lamberto Dini, ex-ministro do Tesouro do atual premier, que assumiu o gabinete após uma crise nas filas conservadoras que obrigou o próprio Berlusconi a renunciar, em dezembro de 1994.