Chávez não vai à Itália depor em favor de acusado de tráfico de drogas

Agência ANSA

PALERMO - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, não testemunhará no processo do venezuelano Alex Del Nogal, acusado de liderar uma rede de tráfico de drogas entre o seu país e a Itália, de acordo com a decisão do ministro da Justiça italiano, Angelino Alfano.

A medida, tomada com base no Código Penal do país, recusou o depoimento do presidente sustentando que poderia "comprometer a segurança nacional e outros interesses essenciais" do Estado italiano.

O pedido de depoimento havia sido feito pela defesa do acusado, que é processado na cidade de Palermo, na Sicília, sul da Itália.A decisão sobre a convocação de Chávez foi então transferida ao ministro. Alfano não permitiu o depoimento do mandatário e já comunicou sua decisão às autoridades venezuelanas.

Del Nogal conheceu o atual mandatário venezuelano quando os dois, após a tentativa de golpe de Estado em 2002, ficaram detidos na mesma prisão.Após ter sido nomeado presidente, Chávez agradeceu a ajuda de Del Nogal, que estava preso sob a acusação de homicídio.

O irmão de Del Nogal, Richard, já foi condenado a 14 anos de prisão também pelo crime de tráfico de drogas