Obama avalia nova estratégia para guerra no Afeganistão

Agência ANSA

WASHINGTON - O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, avalia definir uma estratégia "regional" para lidar com a situação no Afeganistão quando assumir o poder, a partir de janeiro do ano que vem, que inclui o envolvimento do Irã. As informações são do jornal norte-americano Washington Post.

Segundo fontes da equipe de segurança nacional do democrata citadas pelo diário, Obama vê "favoravelmente" o diálogo recém-iniciado entre o governo de Cabul e dissidentes da milícia Talibã, e seu plano define a manutenção da presença militar norte-americana no Afeganistão e inclui "possíveis conversações" com o governo de Teerã.

Durante sua campanha, o democrata demonstrou disposição para abrir canais de diálogo com países considerados inimigos dos Estados Unidos, como Irã e Cuba.

Na semana passada, porém, em seu primeiro discurso como presidente eleito, Obama foi firme ao falar sobre a carta que o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, enviou para cumprimentá-lo pela vitória nas eleições do dia 4 de novembro. Em seguida, reiterou que é inaceitável que o país desenvolva armas nucleares.

Também durante os meses em que foi candidato, Obama afirmou inúmeras vezes que pretende intensificar a atuação no Afeganistão para a captura do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden.