Bolívia envia a EUA pedido de extradição de Sánchez de Lozada

Agência AFP

WASHINGTON - A Bolívia enviou nesta segunda-feira ao departamento de Estado um pedido formal de extradição do ex-presidente Gonzalo Sánchez de Lozada, informaram fontes oficiais bolivianas em Washington.

- Entregamos oficialmente os pedidos de extradição de Gonzalo Sánchez de Lozada, (do ex-ministro dos Hidrocarbonetos) Jorge Berindoague e de (ex-ministro da Defesa) Carlos Sánchez Berzaín, revelou a encarregada de negócios da embaixada da Bolívia, Erika Dueñas.

Com vários meses de atraso, a Bolívia fez a entrega formal dos papéis de extradição dos três ex-dirigentes, que são acusados de genocídio, violação da Constituição e peculado.

Sánchez de Lozada foi deposto por uma revolta popular que deixou 65 mortos, em outubro de 2003.

Lozada, Berindoague e Berzaín fugiram para os Estados Unidos em outubro de 2003, quando uma revolta social deflagrada na cidade andina de El Alto, vizinha a La Paz, forçou a demissão do governo.

O estopim da revolta foi a decisão do governo de exportar gás natural para os Estados Unidos por intermédio de portos chilenos, o que foi visto pela população como uma traição à centenária demanda boliviana de recuperar o acesso ao Pacífico, perdido em 1879, durante a guerra contra o Chile.

Howard Gutman, advogado de Lozada, disse que - o pedido de extradição (...) não tem qualquer mérito, já que não cumpre com os requisitos do Tratado de Extradição entre Estados Unidos e Bolívia e tem motivações políticas.

Segundo Gutman, o pedido - faz parte de uma ofensiva política dirigida pelo presidente Evo Morales contra a democracia e contra os que considera seus inimigos políticos.