Incerteza tardia de eleitores poderá beneficiar McCain

Jornal do Brasil

WASHINGTON - Com a areia na ampulheta da campanha de 2008 quase esvaziada, existe um teimoso grupo de pessoas que, por algum motivo, ainda não sabe quem deseja ver na Presidência. Um em sete, ou 14%, não conseguem decidir ou apoiar um candidato, mas podem mudar de idéia, segundo uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira pela agência de notícias AP e pela Yahoo News.

Quem são estes eleitores? Eles se parecem bastante com os que já aderiram a um candidato, e são em maioria brancos e menos liberais. Apoiaram a frustrada tentativa de Hillary Rodham Clinton de conquistar a nomeação democrata.

Por enquanto, a indecisão deles permanece imperturbável, apesar das fortunas que foram gastas para seduzir eleitores tanto para o lado de McCain, o republicano, como para o democrata Obama. A incerteza é uma combinação de desgostar de algo em ambos os candidatos e uma frustração geral com campanhas políticas.

Há muitos candidatos que nunca tiveram de batalhar, nunca passaram por momentos difíceis em termos econômicos disse Jeff Woford, 28, pastor e republicano de Missouri que apóia McCain. Muitos candidatos estão interessados em trabalhar no sistema político mas não querem fazer mudanças..

De um modo geral, o número de persuadíveis não mudou em relação aos números medidos em junho e setembro pela pesquisa da AP-Yahoo!.

Mas o levantamento que interrogou repetidas vezes o mesmo grupo de 2 mil adultos desde último novembro de 2007 mostra uma reviravolta considerável embaixo da superfície. Dos mutáveis , aproximadamente 3/4 disseram em junho que estavam decididos, e apenas metade disse isso no último mês.

Estas pessoas tendem a ser menos informadas sobre a eleição. Não seguem política tão de perto observou o cientista político Michael McDonald da Universidade George Mason, na Virgínia. Se eles não conseguem distinguir entre os candidatos a esta altura, a questão é se vão votar.

Terça-feira é o dia da eleição. A pesquisa apontou liderança de Obama entre todos os prováveis eleitores, com 51% das intenções de voto contra 43% de McCain, com uma margem de erros de três pontos percentuais.

Quatro em cada 10 persuadíveis se inclinam para McCain e o mesmo número considera apoiar Obama, enquanto o restante permanece indeciso ou cogita apoiar outro candidato. Visto de outra forma, cerca de um em 10 apoiadores de Obama ou McCain diz que ainda poderá mudar de idéia.

Ainda assim, os eleitores persuadíveis poderão representar terreno especialmente fértil para McCain nos últimos dias de uma disputa em que vem se arrastando.

Estas pessoas confiam menos em Obama que os eleitores decididos em relação à economia, a guerra do Iraque e o terrorismo. Também não tendem a acreditar que o senador por Illinois tem experiência o suficiente para ser presidente.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais