Bispos mudam de idéia quanto a diálogo com Islã

Agência ANSA

VATICANO - Um grupo de bispos participantes do Sínodo sobre a Palavra de Deus, que está sendo realizado no Vaticano, acusaram o Islã de não considerar os direitos da mulher, no casamento e na família, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Segundo um porta-voz do Vaticano, o grupo de bispos de língua espanhola pediu "uma grande cautela" no diálogo religioso com o mundo muçulmano.

O bispo Luis Carron resumiu as opiniões dos bispos declarando que a Igreja Católica, em suas relações com o Islã, deve "ter em mente a concepção (muçulmana) sobre o casamento e a família, na qual os direitos das mulheres não têm a consideração prevista na Declaração Universal dos Diretos Humanos da ONU".

Foi descartada também a idéia de um fórum sobre a palavra de Deus realizado em conjunto com judeus e muçulmanos, defendido anteriormente.

"Com os judeus isso seria possível, mas podemos reconhecer o Corão como Palavra de Deus?", questionaram bispos alemães.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais