Homem suspeito de seqüestro diz ser um Rockefeller

Portal Terra

SÃO PAULO - Um cidadão alemão que alega ser um membro da família Rockefeller alegou inocência nesta segunda-feira da acusação de ter seqüestrado a própria filha em uma rua da cidade de Boston, nos Estados Unidos, no último mês de julho, informou a agência AP. Detido desde agosto, Clark Rockfeller - como ele diz se chamar - terá de pagar US$ 50 milhões de fiança caso queira aguardar o julgamento em liberdade.

Os investigadores acreditam que o verdadeiro nome do 'Rockefeller' é Christian Karl Gerhatsreiter, um alemão que vem vivendo sob falsas identidades desde que chegou aos Estados Unidos, em 1978. Ontem, ele alegou inocência das acusações de ter seqüestrado sua própria filha, Reigh, durante uma visita supervisionada. Na oportunidade, ele teria empurrado a assistente social, colocado a criança no carro e fugido.

No dia 2 de agosto, a menina foi encontrada em uma casa em Baltimore. Ela retornou à Inglaterra, onde vive com a mãe. Ao ser preso, Gerhatsreiter disse ser um membro dos Rockefeller (família americana símbolo da prosperidade do país no século XX), mas os descendentes do magnata do petróleo negaram a informação. O advogado de Gerhatsreiter, Stephen Hrones, disse que seu cliente realmente mentiu sobre sua identidade.

No entanto, ele diz que não há base para as acusações de seqüestro porque o casamento com a mãe de Reigh nunca foi válido, portanto o acordo de custódia não poderia ser. Hrones afirmou também que vai apelar contra a quantia determinada para a fiança na próxima audiência, marcada para quinta-feira. A acusação disse que as mentiras de Gerhatsreiter são um bom motivo para deixá-lo preso e sem fiança.