Sarkozy tenta aumentar influência no Oriente Médio

Agência AFP

DAMASCO - O presidente Nicolas Sarkozy concluiu nesta quinta-feira uma visita a Damasco onde tentou aumentar o peso da França no Oriente Médio, mas seus esforços foram comprometidos pelas conturbadas relações entre Síria e Israel e pelo desafio do programa nuclear iraniano.

O presidente francês, que também é o presidente em exercício do Conselho Europeu, concluiu a sua visita de dois dias - a primeira de um chefe de Estado ocidental depois de cinco anos - para uma reunião a quatro: França, Síria, Qatar e Turquia.

Sarkozy aproveitou a oportunidade para lançar um alerta ao Irã. - O Irã assume um risco grande ao continuar o processo de produção de armamento nuclear militar, o que é a nossa certeza, porque um dia, seja qual for o governo israelense, certa manhã podemos acordar e ver que Israel atacou - declarou.

- Não se trata de saber se isso é legítimo, inteligente ou não. O que poderemos fazer nesse momento? Porque será a catástrofe. É preciso evitar essa catástrofe - insistiu.

Durante essa pequena reunião de cúpula de uma hora foram abordados, além da questão iraniana, as negociações entre sírios e israelenses intermediadas pela Turquia, e também as relações entre Síria e Líbano.

Segundo Sarkozy, não é loucura se ocupar de todos os conflitos da região ao mesmo tempo. - Creio que, ao contrário, é sábio, pois todos estão ligados, são interdependentes -disse.