EUA: prefeito de Detroit anuncia renúncia ao cargo

Portal Terra

WASHINGTON - O prefeito de Detroit (no Estado americano de Michigan), Kwame Kilpatrick, envolvido em um escândalo sexual, se declarou culpado de obstruir a Justiça nesta quinta-feira e afirmou que vai renunciar ao cargo.

Kilpatrick deve ficar quatro meses preso e terá que pagar uma multa de US$ 1 milhão, como parte do acordo feito com a Justiça. Além disso, ao renunciar ao cargo, ele perde o direito à pensão estatal.

A renúncia do prefeito deve ser concretizada em, no máximo, 14 dias e ele não poderá candidatar-se a um cargo público por cinco anos.

Kilpatrick foi indiciado em março por perjúrio, obstrução à justiça e má conduta dentro de suas funções, por ter mentido sob juramento sobre uma relação com sua ex-chefe de gabinete e por ter demitido policiais que investigavam um caso sexual no qual estava envolvido.

Agora, ele admitiu ter aceitado um acordo com três policiais envolvendo mais de US$ 8 milhões para evitar um julgamento. Eles alegam terem sido afastados por investigar rumores segundo os quais a mulher do prefeito teria acabado, há seis anos, com uma sessão de strip-tease no escritório do político.

O prefeito também é acusado de ter mentido sob juramento sobre sua relação com sua ex-chefe de gabinete, Christine Beatty, e sobre seu envolvimento no afastamento do subchefe da polícia Gary Brown.