Nicarágua reconhece independência de Ossétia do Sul e Abkházia

Iván Castro, REUTERS

MANÁGUA - Seguindo o polêmico exemplo da Rússia, a Nicarágua reconheceu a independência das regiões separatistas georgianas da Ossétia do Sul e da Abkházia, e na noite de terça-feira, o presidente Daniel Ortega acusou Tbilisi de agir de forma 'nazista' ao tentar reassumir o controle desses territórios com apoio dos EUA.

- O governo da Nicarágua reconhece a independência das repúblicas da Ossétia do Sul e Abkházia - disse Ortega, ex-adversário de Washington, que governou o país pela primeira vez na década de 80, com apoio da extinta União Soviética.

Na semana passada, o Kremlin atraiu duras críticas dos EUA por reconhecer a independência das duas regiões rebeldes. No começo de agosto, a Rússia invadira a Geórgia para rechaçar a tentativa de Tbilisi de reassumir o controle da Ossétia do Sul, uma região etnicamente diversa que desde 1992 já gozava de autonomia sob proteção de Moscou.

- A Rússia não teve outro caminho senão deslocar suas forças para garantir o que era a vontade e o que é a vontade dessas duas nações, desses dois povos - acrescentou Ortega.

A Rússia diz ter agido para proteger a sua população nas regiões separatistas, e prometeu não interferir em outros conflitos na ex-URSS.

Há poucos dias, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, apoiou Moscou por reconhecer a independência das duas regiões, mas não seguiu seu exemplo.