Líbia começa a cumprir as ameaças de represália contra a Suíça

Agência AFP

TRÍPOLI - A Companhia Nacional Líbia de Transporte Marítimo anunciou nesta quinta-feira que vai interromper seu fornecimento de petróleo à Suíça em represália pela breve prisão de um dos filhos do dirigente Muamar Kadhafi, Hannibal, na semana passada, em Genebra.

Hannibal Kadhafi é oficialmente conselheiro da Companhia Nacional Líbia de Transporte Marítimo, que monopoliza quase totalmente os produtos energéticos da Líbia, e tem uma frota de dez navios.

Em um comunicado conjunto, as companhias nacionais de transporte marítimo e de portos indicaram que também proibirão, a partir de agora, a entrada e a descarga de barcos de bandeira suíça nos portos líbios.

No comunicado, a Suíça é ameaçada de novas medidas se não arquivar nas próximas horas o caso contra Hannibal Kadhafi e não apresentar suas desculpas oficiais.

Na véspera, dezenas de pessoas se manifestaram diante da embaixada da Suíça em Trípoli para denunciar os 'maus-tratos' sofridos pelo filho de Kadhafi durante sua prisão no último dia 15, em Genebra.

Cerca de 200 membros dos comitês revolucionários, a base do regime do coronel Khadafi, entregaram ao embaixador suíço um comunicado ameaçando seu país com represálias se não forem apresentadas desculpas oficiais à Líbia.