Colômbia: guerrilheiro diz que estrangeiros participaram de resgate

Agência AFP

BOGOTÁ - Um dos membros da guerrilha das Farc detidos durante o resgate de Ingrid Betancourt e de outros 14 reféns na selva colombiana, garantiu nesta sexta-feira que a operação teve a participação de estrangeiros.

- Disse que dentro do helicóptero (que levou os reféns) havia estrangeiros - revelou o advogado Rodolfo Ríos, que representa o guerrilheiro Gerardo Aguilar "César".

Segundo o advogado, "um dos estrangeiros no helicóptero, não se sabe se americano ou de que nacionalidade, bateu em César". O guerrilheiro apresenta um hematoma no olho direito.

Ríos informou que "César" disse à procuradoria que foi "efetivamente enganado, pois pensou que se tratava de uma missão humanitária de caráter internacional".

O rebelde negou ser um comandante local das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Disse que é um ideólogo, um político das Farc, sem comando dentro da organização", segundo Ríos.

"Cesar" foi ouvido pela procuradoria no processo que apura o sequestro do ex-senador Luis Eladio Pérez, libertado em 27 de fevereiro passado.

Na noite de hoje, o ministro colombiano da Defesa, Juan Manuel Santos, negou qualquer participação estrangeira na operação militar que libertou os quinze reféns, incluindo três cidadãos americanos.

- Não houve qualquer estrangeiro, nem no planejamento nem na execução desta operação - garantiu o ministro.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais